segunda-feira, 7 de abril de 2014

Em busca de críticas-Parte 1

Esse é um assunto q eu queria pôr em dia faz tempo e estive formulando por uns meses.
E acho que finalmente consegui elaborar melhor.
E apesar de estar me referindo ao campo dos artistas, acho q é válido em vários momentos da nossa vida.


Críticas vem de todos os lados, de todos os jeitos. A gente tenta filtrar quais são as boas e as ruins, mas elas sempre nos afetam de alguma forma. E não que isso seja algo ruim. Críticas são feitas para abrir os nossos olhos.
Abrir os nossos olhos para o que a podemos melhorar.
Identificar problemas, lidar com eles e resolvê-los.


Receber e dar crítica é um tópico constante na vida do artista. Todo mundo passa por uma fase de querer muito a opinião de alguém para saber o quão bom está o seu trabalho, ou onde pode melhorar, o que deve experimentar.
Da mesma forma que há momentos que alguém ainda não está preparado pra ouvir outras opiniões, mas o tempo vai chegar eventualmente.


Eu não quero começar um tópico: “Como criticar”. Eu lembro de ter escrito algo assim há uns 10 anos atrás, e ele estava bem incompleto e nada que um amadurecimento de idéias não resolva. :)


Então acredito que é mais fácil eu exemplificar com fatos que acontecem toda vez que recebo pedidos de pessoas querendo críticas de desenhos e o que eu acredito que falta para poder ajudar mais os artistas se aventurando nessa área. Lembrando que isso se baseia apenas na minha forma de avaliar e a minha forma de agir. Cada pessoa tem formas diferentes de abordar esse assunto.


Quando alguém me manda um link de portifólio ou trabalho que fizeram para eu dar uma sugestão, o máximo que irão receber é algo que se resume a “continue treinando o básico e foque uma coisa de cada vez”.


O que pode parecer vago e frustrante para muitas pessoas, mas essa é a realidade: Quanto mais se pratica, melhor fica.


Essa é a minha critica mais ‘light’, porque se alguém me manda um trabalho em que visivelmente as noções básicas de anatomia, perspectiva, luz, sombra e cores não estão firmadas, não adianta querer pular essas etapas e achar que vão ser prodígios. Um artista não precisa necessariamente dominar todas essas características, mas precisa pelo menos entender elas e saber o quão importante elas são e saber colocar elas em prática.
Então não se ofenda quando alguém disser que você tem que estudar o básico…. Porque todo artista precisa.
Até quem já é profissional de tempos na área também não domina tudo,  e às vezes nem precisa, mas sempre que precisar ele vai saber à quem recorrer.


Uma coisa que eu acredito que não é muito mencionado é: porque artistas mais experientes não pedem dicas e feedbacks de outras pessoas quando postam desenhos?

Na verdade, sim, a maioria dos artista pede dicas e opiniões. A diferença é que eles pedem isso para pessoas que eles já confiam e conhecem. Talvez nem todos, mas a maioria já faz isso com um desenho que eles estão investindo mais tempo e precisam de uma segunda opinião de alguém que pode ajudar.

No momento em que eles pedem uma sugestão para o público, geralmente já é uma quarta ou quinta opinião a respeito.


Na falta de amigos ou colegas mais experientes que possam dar um feedback mais realista sobre o próprio trabalho, aí sim vc busca por um grupo ou pessoas q estão flutuando por aí para dar uma opinião.
Mas sempre lembre-se que são pessoas desconhecidas, com históricos diferentes, experiências diferentes, influências diferentes, e que não tem nenhuma obrigação de serem boazinhas ou amênas com o seu trabalho.
Sempre que eu vejo alguém postando um desenho e pedindo sugestão aleatoriamente, eu vejo uma bomba relógio iniciando a contagem regressiva. São muitas opiniões diferentes e não necessariamente estão errados, por mais diferentes q sejam, mas dependendo do estágio de cada um, críticas variadas mais atrapalham do que ajudam.
Lembre-se que as pessoas que estão vendo seu desenho provavelmente não te conhecem, não sabem seu histórico de trabalhos, não sabem dos seus vícios, não sabem nem ao menos aonde você quer chegar com esse desenho. Então, facilite para que os outros saibam o que você quer e eles ajudarão da melhor forma que puderem.


Vou fazer um comparativo de como uma crítica muda quando se passa um contexto e um propósito mais claro.


SITUAÇÃO 1


Fulano: Oi, eu tenho meus desenhos aqui, vc poderia me dar sugestão? *manda o link* 

(é ótimo quando alguém pede permissão e faz mesmo assim sem esperar resposta...... ಠ_ಠ  )

Eu: Então, o que você quer q eu olhe?
Fulano: Ah! Olha tudo e me diz o que você acha.

(A partir daqui eu já sei que o papo não vai longe....*respira fundo* )

Eu: Algum desenho em específico que você quer ajuda?
Fulano: Tá, que tal esse aqui!? *manda link*
(vejo desenho e noto que a pessoa está num estágio inicial)

Eu: Tá, mas o que você queria chegar com o seu desenho?
Fulano:
Como assim? Só me diz o que eu posso fazer pra melhorar.
Eu:
 Legal a idéia mas não sei se vc quer ir pro lado mais bonitinho ou bizarro.Eu to vendo uns problemas aqui na anatomia e proporção que você pode ajeitar primeiro.
Fulano: Mas eu queria que a cena tivesse mais essa cara porque eu queria testar isso e aquilo. Eu queria fazer no meu estilo que não segue a proporção e tals.
Eu: Já pensou em fazer algum curso?
Fulano: Ah! Eu queria aprender por conta, mas não sei mais onde melhorar.
Eu: Pode continuar treinando anatomia.
Fulano: Eu queria desenvolver meu estilo e seguir com isso.

Eu: Ah, então tá. Dá um tapinha ali e boa sorte.



SITUAÇÃO 2


Fulano: Oi, eu tenho um trabalho que eu queria te mostrar. Eu estou querendo dar uma cara mais sombria, mas ainda fofinho. Não sei se ficou fofo o suficiente. Eu ainda não manjo de anatomia, mas estou praticando. Tem como me dar umas dicas de como melhorar? Eu já treino umas técnicas de pintura pq quero chegar em resultados como artista X. Se tiver um tempo pra dar uma força, eu agradeço. *deixa o link*
Eu: Hmm, bacana. Dá pra ver tem algumas coisas pra mudar na anatomia, mas seguindo essa linha que você quer, acho q esse artista pode ser uma boa referência pra treino e aquele ali pode ser uma boa inspiração. Tem curso Y que pode te ajudar e tem esses exercícios que talvez te interessem.

*conversa continua por mais um tempo explicando melhor as coisas*

Fulano: poxa, valeu! Vou procurar a respeito e continuar treinando.
Eu: Falows!


A situação 1 é o que mais costuma acontecer. E nesses casos geralmente ambas as partes não ajudaram em nada.
Quem faz a crítica sai de vilão porque geralmente não se tem muito o q responder em casos assim sem ser mais incisivo.
80% das vezes que alguém me pede dicas ou críticas, são pessoas que esperam milagres ou algum segredo que faça seus trabalhos melhorarem do dia para a noite. E a realidade é apenas uma: tem que ralar muito para conseguir alcançar qualquer objetivo.

A situação 2 é a mais ideal, mas a mais rara de acontecer (mas acontece! #Amém).
Mas totalmente compreensível já que não são muitas pessoas que realmente investem o tempo para alcançarem o que querem, e são essas pessoas que eu gosto de reservar o meu tempo ajudando.

Para quem pede a crítica e geralmente não sabe por onde começar a pedir ajuda, ai vai a dica, ok?! :)


Não espere que uma pessoa desconhecida (por mais que ela tenha experiência), vá ler a sua mente ou saiba tudo pelo que você passou com a sua arte para poder te dizer exatamente o que você precisa. Até porque em muitos casos você já sabe o que tem que faze, mas nunca colocou em prática de verdade.
É papel de quem está pedindo a ajuda de explicar a situação e aproveitar ao máximo a oportunidade de poder aprender e conhecer.

Para quem tem mais experiência é meio óbvio quando a pessoa não está preparada para críticas e fica na defensiva. Então, realmente esteja preparado para ouvir críticas porque não importa o nosso nível, sempre tem algo para se melhorar e novas coisas para aprender.
Existe um outro lado da moeda para se enxergar e explorar, por mais que não seja a sua linha de pensamento. Ouça, leve em consideração e analise.
Algumas dicas levam mais tempo para serem digeridas, as vezes a ficha só cai depois de anos.

A minha conclusão é de que tentar ser o mais justo e compreensivo com os outros é um exercicio BEM exaustivo porque muitas coisas tem que ser levadas em consideração.
As vezes a gente acerta, as vezes a gente erra. Faz parte.
Se vale a pena? As vezes vale a pena, outras não. É um risco que todos corremos.
É um exercício de compreensão a opinião alheia está looonge de ser algo irrelevante pra vida e que infelizmente poucas pessoas praticam.



......E é claro que existe uma outra categoria, que é o pessoal que critica sem terem pedido a opinião delas…...bem, ai cada um lida com eles do seu jeito.  :P Mas lembre-se que dentro de um crítico descontrolado, está uma pessoa que precisa de mais amor na vida~

Um comentário:

Fernanda Nia Ferreira disse...

Lindo texto, Elisa! Não sabia que era possível, mas agora te admiro ainda mais por ele.

Ps.: A última frase ficou demais, hahahahahahhah.